Está aqui

Notícias

16 Jun 2011
O Instituto Português do Sangue, IP tem por missão regular, a nível nacional, a condutividade da medicina transfusional e garantir a disponibilidade e acessibilidade de sangue e componentes sanguíneos de qualidade, seguros e eficazes, tendo sido fornecido, no ano passado, cerca de 260 mil unidades aos Hospitais portugueses, mantendo assim a auto-suficiência do país em matéria de componentes sanguíneos.
3 Jun 2011
Dar sangue é um acto de amor á vida. Dia 14 de Junho, comemoração o Dia Mundial do Dador de Sangue em todo o mundo e, em Portugal não é excepção. O sangue doado é usado para assegurar um direito primordial, o direito á vida, seja, de continuar a viver se a solução do problema de saúde passa por uma transfusão ou derivados.
21 Maio 2011
Vai decorrer uma Colheita de Sangue, no Dia 24 de Maio entre as 9 horas e as 13 horas, na Escola Secundária Mário Sacramento, promovida por um Grupo de Alunos daquele estabelecimento de ensino, que a ADASCA classifica de grande relevância social, tendo em conta o seu interesse público na área da saúde. Esta inciativa conta com o apoio da ADASCA e do Centro Regional de Sangue de Coimbra. Os interessados podem comparecer fazendo-se acompanhar do B.I. ou do Cartão de Cidadão, não deixando de tomar o pequeno-almoço. Contamos convosco.
20 Maio 2011
O Dr. Álvaro Beleza, actual Presidente do Conselho Directivo do Instituto Português do Sangue (IPS) efectua a sua primeira visita de trabalho à Sede da Associação de Dadores de Sangue do Concelho de Aveiro (ADASCA), no próximo Dia 23 (2ª. feira) pelas 11 horas. A Direcção da ADASCA vai aproveitar esta oportunidade para dar a conhecer as suas preocupações, respeitante à Isenção das Taxas Moderadoras a que os dadores têm direito, que nem sempre são respeitadas em alguns serviços de saúde em Aveiro.
16 Maio 2011
Por todo o lado se fala e se escreve sobre a adolescência - exaltando-a ou condenando-a, elogiando-a ou acusando-a - mas quase sempre o discurso parece posto em termos inadequados ou incompreensíveis. Fala-se duma idade terrível, espantalho dos adultos, em que é fatal acontecerem coisas novas, diferentes, profundamente negativas, capazes de fazer «entrar em crise» o jovem e os seus educadores. Ora, ao contrário, as dificuldades que o adolescente encontra no caminho para o adulto não levam necessariamente a comportamentos anormais ou especialmente alarmantes, como parece ser ideia corrente.

Páginas